• Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Artigos Científicos

quinta-feira, 05 novembro 2020 15:29

O Uso de Psicofármacos em Mulheres Grávidas com Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção

Written by
Rate this item
(0 votes)

Maria T.D. Viseu1, Filipa Gomes Tavares1, Mónica Barbosa Pinto1Francisco Assis Ferrera1.

1

 Centro Hospitalar Universitário do Algarve - Hospital de Faro 

Objetivo: 

Revisão da literatura referente ao risco-benefício do tratamento com psicofármacos em grávidas com perturbação de hiperatividade e défice de atenção (PHDA). 

Métodos: 

Pesquisa na base de dados PubMed de artigos publicados nos últimos 10 anos, usando os seguintes termos: ADHD; Pregnancy; treatment. 

Resultados: 

As opções terapêuticas estudadas foram: anfetaminas e derivados, atomexetina e bupropiona. A atomoxetina e a bupropiona apresentaram menores efeitos adversos para o feto, embora com pior controlo sintomático da PHDA. A exposição a derivados de anfetaminas, durante o período pré-natal e o primeiro trimestre, associou-se a malformações congénitas, aborto espontâneo e pré-eclampsia. No terceiro trimestre, a exposição a psicostimulantes resultou em partos precoces, baixo peso ao nascer e piores resultados no Índice de Apgar. Contudo, alguns autores defendem que a exposição a estas substâncias não se traduz em piores resultados. 

Discussão: 

A PHDA é predominantemente diagnosticada durante a infância, sendo que 30 a 60% das pessoas mantêm sintomas ao longo da vida. Estima-se que a prevalência de PHDA em mulheres ronde os 3 a 4%. Dependendo do trimestre, existem diferentes riscos associados aos psicostimulantes, que podem ser atenuados através do controlo da dosagem. Pelo potencial de efeitos adversos, durante a gravidez devem ser mantidos apenas os psicostimulantes considerados essenciais. O não tratamento da PHDA poderá limitar o funcionamento global da grávida. 

Conclusão: 

Deverá ser feita uma avaliação multidisciplinar de risco pré-natal, onde se tenha em conta as consequências da exposição a psicofármacos, assim como o impacto do não tratamento da PHDA. 

Read 284 times Last modified on sábado, 28 novembro 2020 15:35

Leave a comment

Make sure you enter all the required information, indicated by an asterisk (*). HTML code is not allowed.

© 2021 SPDA - Sociedade Portuguesa de Défice de Atenção. Todos os direitos reservados.