• Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Investigação em PHDA

Ir para o artigo...

Qual a evidência da restrição do consumo de açúcar nas crianças com PHDA?

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Teresa Pereira Martins1, Carla Costa2, Carla Pereira3, Catarina Marques Pinho4, Cláudia Teixeira5, Helena Ribeiro6, Maria João Abreu7, Nuno Namora8.

1
USF Novos Rumos - ACeS Alto Ave
2
USF S.Nicolau - ACeS Alto Ave
3
USF Fafe Sentinela - ACeS Alto Ave
4
USF Pevidém - ACeS Alto Ave.
5
USF S.Nicolau - ACeS Alto Ave.
6
USF Novos Rumos - ACeS Alto Ave.
7
USF Duovida - ACeS Alto Ave.
8
USF Duovida - ACeS Alto Ave.

Revista Portuguesa de Medicina Geral e Familiar [online] 

2019, vol.35, n.1, pp.37-41

Objetivos:

Introdução: A Perturbação de Hiperatividade e Défice de Atenção (PHDA) é considerada a patologia neurocomportamental mais prevalente na infância, atingindo cerca de 3 a 7% das crianças em idade escolar. A intervenção terapêutica tem por objetivo principal o desenvolvimento de um equilíbrio emocional e a otimização do desempenho académico, ocupacional e relacional. Preconiza-se uma abordagem terapêutica multimodal, incluindo intervenções psicológicas e pedagógicas, farmacológicas e nutricionais. O papel da dieta como tratamento da PHDA é controverso, mas o tópico continua a interessar aos pais e profissionais de saúde, que preferem uma alternativa/complementaridade à medicação instituída.

Ver artigo completo...


A Direção da SPDA - Sociedade Portuguesa de Défice de Atenção 


© 2019 SPDA - Sociedade Portuguesa de Défice de Atenção. All Rights Reserved. Design by BID-lab