• Este endereço de email está protegido contra piratas. Necessita ativar o JavaScript para o visualizar.

Highlights | Webinar 2: PHDA e a gestão emocional familiar em tempos de pandemia

Highlights
Webinar 2: PHDA e a gestão emocional familiar em tempos de pandemia

Perguntas e respostas do Webinar 2

Perguntas e respostas

Um dos momentos dos webinars Unlocking ADHD Talks são as respostas por parte dos oradores a perguntas colocados pelos participantes. As questões que apresentamos, foram colocadas pelo Dr. José Boavida enquanto moderador e respondidas pelo Dr. Javier Quintero.

Highlights | Webinar 2

Veja aqui a resposta...

Aspecto chave da resposta do Dr. Javier Quintero:
  • Os pacientes com PHDA são mais vulneráveis ao stress.

  • O que podemos ver de uma forma qualitativa, não quantitativa, são mais quadros adaptativos e dificuldades de ajuste.

  • Um estudo na China mostra que há um aumento de quadros afetivos, aumento de ansiedade e depressão.

  • Os pacientes com PHDA já estão a ser acompanhados por profissionais que devem ser capazes de lhes dar continuidade no seguimento e tentar antecipar as suas necessidades e impedir desajustes (fator de prevenção).

  • Os profissionais devem tentar chegar aos pacientes com PHDA, numa lógica preventiva dos problemas, porque serão mais fáceis de tratar.

  • Na consulta, o profissional deve questionar como está, não só do ponto de vista da atenção e escola, mas também do ponto de vista emocional.

  • É importante dar ferramentas aos pais para que estes também ajudem na gestão emocional dos pacientes PHDA.

Veja aqui a resposta...

Aspecto chave da resposta do Dr. Javier Quintero:
  • O tratamento não se deve focar só na escola, mas sim no paciente como um todo.

  • Deve analisar-se qual as suas necessidades globais ao longo do dia (sociais, emocionais, afetivas, etc.) e não focar-se apenas na duração das atividades escolares e nas necessidades académicas, mas também nas necessidades da criança/adolescente ao nível da sua auto-estima, bem-estar, relação com os outros, ou até mesmo nas brincadeiras e atividades extra-curriculares.

  • Lembrar que os adolescentes PHDA são uma população especialmente vulnerável neste cenário, sendo que, o recomendado nas principais orientações mundiais da PHDA é o uso de fármacos de longa ação, que controlem a sintomatologia da PHDA ao longo de todo o dia, mostrando benefícios claros na melhoria do funcionamento global do paciente.

  • Se está a funcionar bem, não há necessidade de ajustar/mudar.

Veja aqui a resposta...

Aspecto chave da resposta do Dr. Javier Quintero:
  • O aspeto da sobrecarga a que está sujeita esta mãe/família é bastante complicado.

  • Se o pai tem PHDA e não é capaz de assumir esse problema, nesta situação de crise, onde há uma maior carga emocional em casa, o pai tem de estar mais presente de ter maior protagonismo no cuidar dos filhos com PHDA. 

  • Pais com PHDA tendem a ser menos pacientes com os filhos PHDA, e as tarefas em casa, acabarão por aumentar os pontos de fricção.

  • Tentar aproveitar a oportunidade para sensibilizar o pai a procurar ajuda junto de um profissional e deixar-se avaliar e tratar.

Veja aqui a resposta...

Aspecto chave da resposta do Dr. Javier Quintero:
  • Planos de treino parental e psicoeducação para pais de crianças e adolescentes com PHDA.

  • Ainda é cedo para poder comparar a eficácia entre grupos, com intervenção por videoconferência vs intervenção presencia. No entanto, a intervenção por videoconferência parece funcionar melhor do seria esperado.

  • Ajudar os pais a compreenderem o que é ter um filho PHDA e que estratégias podem ou não utilizar para os ajudar.

© 2020 SPDA - Sociedade Portuguesa de Défice de Atenção. All Rights Reserved. Design by BID-lab